Religião em Marrocos – O Islamismo regido pelo Alcorão

O Islamismo é a religião dominante em Marrocos. É a religião do Estado e a mais praticada no país.

O Islão é a religião de Marrocos
O Islão é a religião de Marrocos

Estima-se que corresponda a 98,7% da população marroquina – existirão cerca de 100 mil cristão em Marrocos e perto de 10 mil judeus.

O Islão é uma religião que transmite a tolerância, a generosidade e a solidariedade entre todos. Aliás, a palavra Islão tem uma raiz árabe na palavra “Saláma” que significa paz, pureza, submissão e obediência.

O rei de Marrocos é o Amir al Mouminine, ou seja, o Comandante dos Fiéis, sendo o responsável pela preservação das tradições religiosas.
O Islamismo rege-se pelo Alcorão, livro sagrado com textos que reflectem o que foi revelado ao profeta Maomé, através do anjo Gabriel. Alá é o Deus do Islão e Maomé foi o último dos mensageiros de Alá.

O Alcorão tem 30 partes (chamadas de Juz), 114 capítulos (Suratas) e 6342 versículos. A palavra Alcorão vem do verbo que significa declamar ou recitar, neste caso, recitar a mensagem de divina para toda a humanidade. Segundo reza a história, o Alcorão começou a ser revelado no ano 610 dC, quando o Profeta já tinha 40 anos.

Alcorão
Alcorão

As mesquitas são os locais onde os fiéis rezam – e onde é vedada a entrada a não muçulmanos. Cinco vezes ao dia ouvirá os chamamentos e é quando se dirigem para as mesquitas para as orações. Mas não é obrigatório para os muçulmanos orarem nas mesquita, pode orar em qualquer sítio, desde que o mesmo não esteja conspurcado.

São cinco os pilares do Islão e também são pontos são incontornáveis na religião de Marrocos. A fé, a oração, a caridade, o jejum do Ramadão e a peregrinação a Meca, são estes os cinco pontos principais do Islamismo.

A Fé assume que “Não há nenhum Deus senão Alá e Maomé é o seu Profeta”. A Oração é feita cinco vezes ao dia e é a ligação entre o fiel e Deus. A primeira oração é na alvorada, a segunda ao meio-dia, a terceira ao meio da tarde, a quarta ao pôr-do-sol e a quinta, e última, durante a noite.

Alcorão
Alcorão
A caridade é outros dos pilares do Islão. A palavra “Zacát” revela a quantidade de géneros e dinheiro que um muçulmano oferece a quem mais precisa. Em termos de percentagem é cerca de 2,5% do que ganha um fiel, depois de retirar o que gasta com a sua família e em impostos.

Outros dos pilares é o jejum do Ramadão, que é abstinência de comer, beber, fumar e ter relações sexuais, realiza-se no nono mês do calendário islâmico – durante todo o mês – e entre as horas antes da alvorada até ao pôr-do-sol. O fim do jejum do Ramadão chama-se Aid el Fitr.

Ainda o quinto pilar é a peregrinação a Meca. A peregrinação deve ser feira no último mês do calendário islâmico e é obrigatória pelo menos uma vez na vida. Não é permitido contrair dívida para esta viagem, ou seja, o muçulmano tem de ter dinheiro para os gastos da viagem. A ida a Meca é a confirmação da dedicação dos fiéis e representa a fraternidade e igualdade entre os muçulmanos.

Rei de Marrocos
Rei de Marrocos
O rei Mohammed VI criou um programa de formação de predicadoras, treinadas como imãs, que têm como objectivo enquadrar mulheres nas fábricas, na Internet e na televisão.

Também apelidadas de Mourchidates, as mulheres contribuem para aumentar a tolerância e igualdade entre sexos.

Apesar de o Islamismo ser a religião oficial de Marrocos, os estrangeiros que lá vivem pode praticar livremente as suas religiões. Principalmente nas grandes cidades marroquinas poderá encontrar locais de culto de outras religiões. Há ainda uma comunidade de judeus marroquinos.

Agencia de Viagens em Marrocos