Para uma resposta mais rápida, é mais fácil nos contatar ou reservar um tour pelo Whatsapp +212-622-105-822

Visitar Tétouan Marrocos

Tétouan Marrocos (ou Tetuão) é uma cidade hispano-mourisca no norte de África, cheia de história e com cerca de 320 539 habitantes. Ela faz parte do Rif (Rife), uma região montanhosa do norte de Marrocos e também está próxima ao mar e de belas praias com clima ameno durante todo o ano.

Em Berbère “Titaouin” significa nascentes. Uma particularidade sobre Tétouan, é que no século XV foi desenvolvido uma rede de canalizações a partir de nascentes próximas à cidade. 

Tais nascentes alimentam as casas e diversas fontes do Skoundou, uma grande rede de canalizações subterrâneas. Essa rede também fornece água potável às mesquitas, edifícios públicos, fontes e hammams.

O trabalho de zellige (azulejo tradicional) é uma das profissões mais artísticas da cidade de Tétouan, por sua técnica de modelagem, cores e acabamentos de superfície que lhe conferem uma singularidade e autenticidade especial.

Tétouan também é conhecida pela mestria da pintura em madeira, que resultam em trabalhos variados e muito belos feitos pelas mãos dos artesãos.


História de Tétouan

A presença do homem na região de Tétouan é atestada desde os tempos pré-históricos. Graças a escavações feitas na cidade de Tamuda, a menos de 10 km de Tétouan, foi descoberto que a história desta ultima começou no século III a.C. 

Romanos e Fenícios foram os primeiros a chegarem à cidade, que foi construída e destruída diversas vezes, ao longo das invasões que sofria.

O local da cidade é mencionado pela primeira vez pelo geógrafo andaluz Abu Oubayd Al Bakri no século XI. Em seu livro “Al Masalik wal Mamalik” (Os Caminhos e Reinos), ele descreve com precisão a jornada entre Sebta e Tittawane e a menciona como uma cidade com um Kasbah e um farol.

De acordo com o historiador Ali Ibn Abi-Zar’, a fundação da cidade aconteceu sob a ordem do Sultão Abu Thabit Amir, uma vez que o local servia como base para atacar Ceuta, então ocupada pelas Nasridas do Reino de Granada. No entanto, seria apenas uma reconstrução ou ampliação da cidade que já existia antes.

Com a conquista de Ceuta pelos portugueses em 1415, Tétouan torna-se uma base estratégica para campanhas militares contra os ocupantes e também serve como o principal porto para o Mar Mediterrâneo. 

Além disso, de acordo com o cronista Gomes Eanes de Zurara, a cidade é destruída em 1437 por Dom Duarte de Meneses, filho de Dom Pedro de Meneses, primeiro capitão geral de Ceuta.

O governador e fundador de Chefchaouen, Moulay Ali Ben Musa Ben Rachid El Alami, chamado “Berraxe” pelos portugueses, enviou um comandante competente a Tétouan para construir um muro de proteção na cidade. 

Assim, Abu-Hassan Ali Al-Mandri, um comandante andaluz de Granada que estava em Marrocos durante a Reconquista, voltou para a cidade da qual ele se tornou governador e arquiteto. Ele é considerado o reconstrutor de Tétouan.

Após sua morte, sua esposa Sayyida al-Hurra (também chamada Sitt al-Hurra), filha de Ben Rachid, o sucede como governadora da cidade e exerce poder real sobre aquela parte do norte de Marrocos.

Tempo depois, o sultão Wattassid de Fez Abu al-Abbas Ahmad bin Muhammad casa-se com ela e reconhece oficialmente seu poder sobre toda a região a oeste do Rif.

Tétouan conheceu nos séculos XVII e XVIII um grande crescimento graças ao seu status de porto mediterrâneo em contato com Marselha, Livorno e Alexandria. Contudo, a cidade experimentou um grande declínio posteriormente, cujas as causas são principalmente políticas. 

Primeiro, a atividade comercial portuária e os consulados foram transferidos para Tânger, um porto capaz de acomodar navios maiores. Depois, uma grande epidemia de peste (setembro de 1818 a maio de 1819) causou a morte de 6259 pessoas, o equivalente a um quarto da população de Tétouan.

A cidade é ocupada pelo exército espanhol de 1859 a 1862 após a guerra hispano-marroquina (1859-1860) , que levou à cessação das atividades económicas e à fuga de parte dos habitantes para Tânger, Gibraltar e Oran. 

Ao final da Guerra de 1860, a Espanha ocupou Tétouan, retirando-se somente dois anos depois, com o recebimento de indenizações. Contudo, os espanhóis retornaram em 1913, fazendo de Tétouan a capital do protetorado Espanhol no Norte de Marrocos e a cidade permaneceu assim até assinar o acordo de Independência em 1956.

Tétouan foi visitada em junho de 1883 pelo explorador francês Charles de Foucauld, que menciona a boa saúde econômica do “bairro judeu mais limpo e melhor construído que já vi em Marrocos”. Enquanto algumas áreas periféricas estão caindo em ruínas.

Depois da ocupação espanhola em 1913, Tétouan tornou-se a capital do protetorado espanhol de Marrocos. Este período é caracterizado pela luta principalmente política entre a administração espanhola e os nacionalistas do Partido Nacional Reformista da Turquia, cuja personalidade principal é Abdelkhalek Torres. 

Em 1936, a capital do protetorado hispânico foi uma das primeiras cidades controladas pelos nacionalistas que apoiaram o general Francisco Franco durante a eclosão da Guerra Civil Espanhola.

Por fim, Tétouan retornou ao reino independente de Marrocos em abril de 1956.


Como chegar a Tétouan

A cidade de Tétouan é servida pelo Aeroporto Sania Ramel (Tétouan-Sania R’mel) e nele operam as companhias aéreas Royal Air Maroc Express, Ryanair e TUI fly Belgium.

Veja a seguir algumas sugestões de percurso em caso de ter decidido visitar Tétouan a partir de outra cidade de Marrocos.

Como chegar de Tânger a Tétouan

A partir de Tânger, cidade do norte de Marrocos, pode-se chegar a Tétouan de autocarro, táxi ou de carro.

  • Autocarro (Ônibus)

Com a companhia de autocarros CTM, pode fazer uma viagem de 45 minutos de duração de Tanger a Tétouan ao custo de 20 a 45 Dirhams (de 2 a 4 euros).

  • Taxi

A viagem de táxi, por sua vez, tem a mesma duração e custa de 595 a 760 Dirhams (55 a 70 euros).

  • Carro

Se decidir ir até a cidade de carro, irá dirigir por 60 km aproximadamente e irá gastar cerca de 40 a 75 Dirhams (4 a 7 euros) com combustível.

Veja também o passo a passo de como alugar um carro em Marrocos.

Como chegar de Chefchaouen a Tétouan

Assim como no caso de Tânger, pode-se chegar a Tétouan a partir de Chefchaouen de autocarro, táxi e carro.

  • Autocarro (Ônibus)

Com a companhia de autocarros CTM, pode fazer uma viagem de 1 hora de duração ao custo de 30 a 45 Dirhams (de 3 a 4 euros).

  • Taxi

A viagem de táxi, por sua vez, tem a mesma duração e custa de 700 a 870 Dirhams (65 a 80 euros).

  • Carro

Se decidir ir até Tétouan de carro, irá dirigir por 64 km aproximadamente e irá gastar cerca de 50 a 85 Dirhams com combustível (de 5 a 8 euros).


Quando Visitar Tétouan

As temperaturas de Tétouan geralmente são muito agradáveis durante todo o ano, com pouca ocorrência de chuva. 

A melhor época para visitar Tétouan é da metade de Março ao começo de Julho e da metade de Setembro ao final de Dezembro, quando o clima não está muito frio e nem muito quente e também quando não há muita incidência de chuvas.

Se está procurando o momento mais quente para visitar a cidade, os meses mais quentes são Agosto, Julho e Setembro. No início de Agosto as máximas giram em torno dos 31,7 ° C, com temperaturas raramente menores do que 21,3 ° C à noite.

Se o tempo seco é o que procura, os meses com a menor chance de precipitação são Julho, Junho e Agosto. A menor chance de chuva ou neve ocorre do final de Maio ao início de Junho. As estações meteorológicas não relatam uma porcentagem de neve anual em Tétouan.

O mês menos úmido é Julho (52,1% de umidade relativa), e o mês mais úmido é outubro (65,8%). E o vento em Tétouan é geralmente moderado, sendo Março o mês com mais vento, seguido por Fevereiro e Abril. 

Leia também a página onde ficar em Tétouan para ter acesso à melhor seleção de hotéis e Riads com diferentes preços, que cabem em todos os bolsos!

Encontrando-se no interior, Fez pode ter verões cruelmente quentes, devendo uma visita à cidade em Julho e Agosto ser feita apenas por pessoas que se sintam excepcionalmente bem com temperaturas elevadas.

De uma forma geral as melhores épocas do ano para se visitar a cidade serão as que antecedem e se sucedem ao Verão, ou seja, em Abril e Maio e depois em Setembro e Outubro. Mas com sorte apanhará um tempo agradável. Novembro será uma boa opção, com boas probabilidades de apanhar dias adequados para explorar a cidade e sendo o mês do ano em que existem menos turistas por ali.

TETOUAN MARROCOS
TETOUAN MARROCOS

Pontos turísticos de Tetouan

O que visitar em Tetouan. Locais e monumentos principais da cidade.

Medina de Tétouan: é classificada como Património Mundial da UNESCO desde 1997 e é a parte mais movimentada da cidade. São 5 km de muralhas abertas por sete portas esculpidas, a Bab El Okla, a Bab Saaida (leste), a Bab Mqare, a Bab Ejjyafe (norte), a Bab Nouader (oeste), a Bab Toute e a Bab Remouz (ao sul). A medina também possui casas brancas com detalhes em verde e souks bem separados de acordo com os produtos vendidos.

Centro de Arte Moderna de Tetuan: é um pequeno museu de arte moderna dos anos 50 até os dias atuais, com entrada gratuita. O prédio, todo pintado de branco e com arcos no estilo marroquino, foi um dia a antiga estação de trem da cidade.

Museu Arqueológico: local onde se expõe a história antiga da cidade, incluindo as estatuetas de bronze romanas, os mosaicos de luxo e as coleções de moedas do período púnico. 

Feddan Park: é uma praça situada a 5 minutos do centro de Tétouan, que da uma magnífica vista para a medina e para as casas na colina. É o local ideal para fazer um passeio relaxante ao pôr do sol. Se estiver de carro, há um estacionamento bem abaixo da praça.

A 10 minutos a pé desta praça, chega-se a uma outra chamada Praça Hassan II  e ao Palácio Real, com uma fachada muito bonita, e que é apenas um dos diversos palácios que o rei possui nas principais cidades de Marrocos.

Dar El Oddi: é um museu que começa a contar história já pelo prédio em si, ornamentado com pisos e azulejos marroquinos. Mas ele também abriga uma bela exposição de fotos, cartazes promocionais, selos, cartões postais, mapas e outros itens que contam a história de Tétouan.

Dar Sana: é uma escola de artes e ofícios construída no estilo neo-árabe. Ela está localizada perto da porta Bab El Okla e costuma ter exposições das obras dos alunos.

Jardim Riad Al Ochak (ou Riyad Al Ochak): é um jardim de dois hectares criado em 1929, sendo uma réplica dos famosos jardins do Palácio de Alhambra em Granada. Possui canteiros coloridos, árvores majestosas, várias fontes e lagos e é muito visitado ao final das tardes.

Curtumes de Tetuão: são locais tradicionais para o processamento do couro. Este trabalho começou a ser feito há muitos séculos atrás em Marrocos e o processo não mudou muito nos dias atuais. Além de ser um trabalho duro, também é mal cheiroso.

A entrada é feita por um pequeno portão, logo antes de sair da Medina, na via Bab Mkabar. Este curtume não é famoso, coloridos e grande como os da cidade de Fès, mas ainda assim é um bom lugar para visitar enquanto estiver andando pela cidade.

Cemitério Judeu de Tetuão: este cemitério tem mais de 500 anos e aproximadamente 35.000 lápides, tornando-se o maior cemitério judeu de Marrocos. Inclusive Tétouan tem um bairro judeu chamado Mellah, também conhecido como “Pequena Jerusalém”.

Entre os enterrados no cemitério, está o rabino Isaac Bengualid (1777-1870). Bengualid nasceu em Tétouan e era herdeiro de uma ilustre família rabínica que veio de Castela para Marrocos, após a expulsão da Espanha em 1492. 

Todos os anos, quatro dias antes de Purim, no aniversário da morte do rabino Bengualid, peregrinos de todo o mundo vão até o seu túmulo para celebrar. O cemitério é aberto ao público.

Praça Moulay El Mehdi: praça onde está situada a Igreja de Nossa Senhora da Vitória, construída em 1919. Esta igreja católica tem um papel social em Tétouan, servindo como centro cultural e dando apoio aos imigrantes.

Royal Golf de Cabo Negro: projetado na tradição britânica, este campo de golfe possui 18 buracos, localizado em meio a diversas árvores de essências mediterrâneas.

Marina Smir: é uma luxuosa marina, situada numa posição privilegiada com vista para o Mediterrâneo e com capacidade para mais de 450 postos de ancoragem.

Ela possui dois centros de mergulho e na costa de Tétouan em geral é possível praticar diversas atividades aquáticas, como: esqui aquático, surf, jet ski, vela, windsurf, pesca e banana boat.

Martil: está a apenas 10 km de Tétouan e é uma estância balnear com um longo calçadão à beira-mar. A praia é bastante grande e se estende desde Cabo Negro, no norte, até Azla, perto do Cabo Nazari, no sul. Sua posição estratégica foi explorada pelo exército colonial espanhol e fortificações foram construídas para monitorar a região. Nas últimas décadas, cresceu dramaticamente, com melhorias significativas para promover o turismo.

Fnideq: está situada a 30 km de Tétouan e é uma estância balnear, com alguns hotéis e com uma praia de areia fina e mar tranquilo.

Tamuda Bay: a praia de Tamuda Bay fica a 20 km de Tétouan. O local caracteriza-se pelas suas colinas cobertas de florestas verdes, com vista para o azul translúcido do Mediterrâneo. 

Este novo resort, localizado na costa M’diq–Fnideq, abrange uma área de cinquenta hectares, com hotéis projetados para oferecer luxo e descanso. Integra o campo de golfe e a Laguna Smir, uma lagoa onde é possível observar muitas espécies de aves migratórias. 

A área conta também com um parque aquático, diversas lojas, bares e restaurantes, que ficam abertos principalmente durante o Verão.

A praia de Tamuda Bay também oferece centros de talassoterapia e centros de fitness, com piscina, praia privada, sauna e banho turco (hammam).


Região de Tétouan

A região de Tétouan também vale a pena ser visitada, para deixar a sua viagem ainda mais completa. Veja abaixo quais são as cidades mais imperdíveis.

Chefchaouen: também conhecida como a “cidade azul”, está a 65 km de Tétouan e é um lugar imperdível em Marrocos. Chefchaouen em berbere significa “chifres” e o nome foi dado devido aos picos das montanhas que rodeiam a cidade.

Em Chefchaouen existem vinte mesquitas e santuários e o local é muito tranquilo e agradável para se fazer uma caminhada por entre as ruas e casas pintadas de azul e branco.

O seu Kasbah (forte) foi construído pelo sultão Moulay Ismail no século XVII para proteger a cidade de invasores. O local possui jardins e um pequeno museu onde pode-se admirar a cerâmica do Rif, os curiosos cofres de madeira usados em dias de casamento, além de instrumentos musicais e trajes regionais.

A cidade de Chefchaouen foi incluída no Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO em 2010, devido ao seu modelo nutricional (Dieta Mediterrânea) que consiste na qualidade de produtos como azeite, frutas, cereais, vegetais frescos e secos, e uma quantidade moderada de peixe, de produtos lácteos e de carne, além de muitos condimentos e especiarias.

Veja também o nosso Guia de Viagem Completo de Chefchaouen.

Parque Nacional de Talassemtane: a 100 km de distância de Tétouan, este é um parque com paisagens raras, onde rochas, florestas, belos miradouros e desfiladeiros tornam a vista inesquecível. 

O parque contém mais de 1.380 espécies de plantas e é também um refúgio para mais de 35 espécies de mamíferos, incluindo o mais conhecido, o macaco de Gibraltarr que habita nas inúmeras grutas espalhadas nas montanhas, e há ainda uma fauna rica com mais de 100 espécies registradas, incluindo algumas aves emblemáticas como a águia dourada e o abutre.

Ponte de Deus: fica em Akchour, a 75 km de Tétouan. É um arco natural de formação geológica, impressionantemente esculpido na rocha vermelha, sobre as águas cristalinas do Oued Farda. 

Oued Laou: é uma pequena aldeia situada a 45 km de Tétouan, na estrada para Targha, onde vale a pena parar e desfrutar da hospitalidade dos habitantes locais. Ao amanhecer, os agricultores trazem os seus produtos frescos (figos, queijo, ovos, entre outros) e no cais, perto dos barcos, há ótimos peixes de várias espécies, acabados de serem pescados.

Targha: localizada a leste de Oued Laou e a 60 km de Tétouan, fica na base de dois grandes afloramentos rochosos, num dos quais ainda perduram uma fortaleza que data do século XV. O pequeno porto de pesca de El Jebba, situado na sombra de uma montanha branca, é um local belíssimo que deve ser visitado.

Cala Iris: a 190 km de Tétouan, este belo local à beira-mar possui praias de areia fina e águas calmas. A poucos quilômetros de distância localiza-se a praia de Torres. O interior de Cala Iris proporciona ainda um agradável passeio por meio de belas florestas de cedros e abetos.

Al Hoceima (ou El Hoceïma): está a 230 km de Tétouan e é uma cidade de clima agradável, onde convivem em harmonia a montanha e o mar. Seu nome vem de “Al Khozama”, que significa lavanda, uma planta muito encontrada na região central do Rif. 

A região guarda diversas praias de areia fina e águas calmas e transparentes, propícias à prática de esportes aquáticos. Ali também estão diferentes cooperativas que vendem os produtos locais como plantas aromáticas e medicinais, mel, cerâmica tradicional e produtos de cestaria.


Onde comer em Tétouan

A arte culinária de Tétouan, resultado da combinação de muitas receitas (Rif, andaluzes, judeus, etc), é a mais famosa em Marrocos.

Os pratos de Tétouan, principalmente os doces, os salgados e o frango com passas caramelizadas, são uma delícia.

Outros pratos típicos são a pastilla de frango e os ovos sem amêndoas, a Tahliya –  cornos de gazela esfarelados – os ktayefs e o JBen – um queijo branco fresco e cremoso envolto em folhas de palmeira e preparado em cooperativas pelas mulheres, que os vendem nos souks.

Portanto, em sua visita a Tétouan não deixe de procurar por algumas destas especialidades locais.

A cidade tem restaurantes para todos os bolsos, dos mais simples aos mais sofisticados. Veja a seguir a lista dos melhores em cada faixa de preço.

Restaurante sofisticado: Restaurantes de preços baixos:
Saida Art Contemporain Club de Tapas
Endereço: 9 Avenue Mohamed Daoued | Derb Laatar, out of Medina Junto a Bab Saida, Tetouan 93040, Marrocos
El Pasillo
Endereço: Avenue Mouhamed Al Harrak, Tetouan, Marrocos
Restaurantes de preços médios: Restinga
Endereço: 21 Avenue Mohammed-V., Tetouan 93040, Marrocos
Riad El Reducto
Endereço: Zankat Zawya 38, Tetouan, Marrocos
Al barakate Pâtisserie & traiteur
Endereço: 286 , Avenue Thami Ouazzani, Tetouan, Tetouan 93040, Marrocos
Blanco Riad Restaurant
Endereço: 25 Rue Zawiya Kadiria, Tetouan 93000, Marrocos
Cafe Snack Las Hermanas
Endereço: Avenue Mohamed V | 49, Interseccion Con Avenue Allal Ben Abdellah, Tetouan 93000, Marrocos
Esquina del Pescado
Endereço: Rue Chakib Arsalan 43, Tetouan, Marrocos
Frutello
Endereço: Avenue Mohamed Benaboud galerie shopping centre | Galerie Shopping Centre, Tetouan 93000, Marrocos
Sed Nakhla – Le Restaurant du Lac
Endereço: Route de Chefchaouen, Km 20 | Zinat, Tetouan, Marrocos
Olas
Endereço: Av Lala Nuzha-Corniche | M’Diq Plage, Tetouan, Marrocos

Onde fazer compras em Tétouan

O Ensemble Artisanal é uma organização apoiada pelo governo que vende artesanato marroquino, ideal para quem quer ter uma recordação do país ou levá-la para alguém.

A loja parece uma cápsula do tempo, com diversos itens feitos à mão como têxteis tradicionais, caixas de madeira com incrustações madrepérola, itens de couro, caixas e janelas de vidro colorido, com lâmpadas típicas marroquinas.

Os preços desta loja são fixos, diferente do que ocorre nos souks, onde geralmente os vendedores não colocam os preços e muitas vezes os turistas acabam por pagar mais caro do que um local.

Nas ruas Mohamed V e Ouada, existem muitas lojas de tecido, roupas em geral, sportswear, sapatos, jóias, eletrônicos, perfumes, entre outros produtos. E para quem procura vegetais e especiarias, existem várias opções na Medina.

Para os itens de casamento, nougats e queijos, vá até o bairro judeu Mellah, próximo à Praça II Hasan. E para compras de mercado no estilo ocidental, existe o hipermercado Marjane, na saída para a cidade de Ceuta.


Guia de Viagem de Tetouan